História

Com a instalação de famílias de colonos que vieram para a região atraídos pela boa qualidade
das terras, localizadas na aprazível serra do Pires, nasceu o primeiro núcleo de povoamento do
município. No final do século XVIII, o núcleo já contava com várias fazendas de gado e grandes
lavouras.
Nos meados do século XIX, o Coronel João de Oliveira Mendes foi quem dominou a localidade.
Por ser dotado de recursos e muitas terras, gostava de ser tratado com muito respeito e
espalhava pavor por causa da sua crueldade. Após seu falecimento, em 1850, o frei Alberto
Santa Augusta Cabral fez um apelo à população na tentativa de acalmar os ânimos e pela
pacificação, pediu que todos lançassem suas armas numa cova aberta em frente a igreja. como
todos atenderam ao apelo do frei, a vala ficou cheia de armas. Contam que noventa e nove
anos depois, várias armas forma encontradas, corroídas pela ferrugem.
No ano de 1843, o povoado foi elevado à condição de distrito, do município de Goianinha.
Tornou-se município no dia 15 de março de 1868 e ganhou sua primeira escola primária três
anos depois, mas logo depois, no dia 12 de março de 1868, voltou à condição de povoado,
dessa vez pertencendo ao município de Nova Cruz, que assim permaneceu até 31 de dezembro
de 1958, quando através da Lei nº 2.337, desmembrou-se, tornando-se município com o nome
de Serra de São Bento.
Gentílico: serra-bentense ou são-bentense.